segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

No coração do homem, a eternidade...


Estávamos todos num dos laboratórios de Biologia da UESB - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia quando eu fiz uma pergunta que provocou uma lacuna, um enorme silêncio na classe de aproximadamente quinze alunos: professor, o que sua alma busca?

O professor era um velho médico que insistia em afirmar em todas as aulas que Deus não existia. Que cientificamente não havia como prová-lo.

Todos os dias aquele professor nos instigava com aquela velha história de ateísmo. E eu gostava daquele homem e de sua busca pela verdade, embora não concordasse com seu pensamento.
Então o mestre rompeu o silêncio afirmando: "Quando estou sozinho, no silêncio de minhas mais profundas reflexões, minha alma busca a Deus".

Era, assim, final de uma das mais brilhantes aulas que eu havia tido em toda a minha vida.
Ainda que eu não creia. Ainda que eu não queira eu sou um ser espiritual. Tenho uma alma e ela busca a alguém mais poderoso e forte que eu. Sem o mesmo eu não conseguiria viver.

Bonsai

Marcadores:

1 Comentários:

Blogger Messias Brito disse...

Ele citou o famoso teólogo alemão Paul Tillich, provavelmente sem saber.
"O coração humano procura o infinito. No infinito ele vê a sua realização"

21 de junho de 2011 18:37  

Postar um comentário

<< Home