domingo, 26 de junho de 2011

INTERPRETAÇÃO DE SONHOS


Longe de terem uma explicação mística, os sonhos são uma forma de termos acesso ao nosso inconsciente. E é justamente para isso que a Psicanálise serve: se tenho acesso às causas de meus impulsos interiores desconhecidos, poderei dar consciência ao que está recalcado, escurecido, incompreendido e assim, terei mais maturidade e capacidade de lidar com minhas dificuldades emocionais e pessoais.

Para cada pessoa, cada sonho terá um significado especial, dependendo da história de vida, da condição sóciocultural e do conjunto de valores de cada um. E ter acesso a esse tipo de conhecimento trará o inconsciente à consciência, gerando em mim maturidade emocional.

É preciso considerar que sempre haverá um motivo, uma razão, para justificar nossas fraquezas, limitações e impulsos. Não para nos justificar ou redimir, mas para nos dar uma direção consciente, apropriada e equilibrada ao nosso modo de ver, agir e pensar o mundo.

Revelar o inconsciente e trazê-lo à consciência é um processo por vezes dolorido e difícil, mas os resultados são especialmente bons para nossa saúde mental e emocional. Se meus sonhos me dão esse prêmio, se trabalhados devidamente, eu preciso analisá-los.

Marcadores:

4 Comentários:

Blogger Arctic Bell disse...

Muito bom!!!!!!!!!!!!!!

PERFECT =D

26 de junho de 2011 13:51  
Anonymous Magno Reis Andrade disse...

Ieda,
Num desses momentos em que garimpava o que ia pelo twitter, vi uma mensagem sua retransmitida por @ricsodre. Nela você apresenta o seu blogue e o coloca à disposição de tuiteiros interessados em visitá-lo, criticá-lo e comentá-lo.
Vou circunscrever minhas ponderações ao texto ‘INTERPRETAÇÃO DE SONHOS`. Apenas para brincar um pouco, diria que não entendo muito de sonhos, a não ser daqueles comprados em pastelarias ou padarias. Mas estes, por levarem muito glucídio em sua composição, há muito não os tenho consumido, apesar de admitir serem saborosos.
Voltemos ao texto. Sua leitura corre solta, sem tropeços. Com concisão, as idéias fluem com facilidade, sempre a enfatizar que “fraquezas, limitações e impulsos” se assentam em causas ou motivos que empolgam à investigação psicanalítica.
Numa época em que testemunhamos arranhões ao idioma - aliás, as autoridades do MEC até já dizem que erros nem existem mais, porquanto seriam obsolescências lingüísticas – o seu artigo se sobressai por uma musicalidade literária que se excepciona à regra geral.
No intróito de seu trabalho, você diz que “os sonhos são uma forma de termos acesso ao nosso inconsciente”. Quando notei esse “ter acesso a” empregado em seu texto, tomei um susto. Internamente, bradei bem baixinho e de forma quase inaudível: ‘Eureka’!!! Encontrei, finalmente, quem usa o bonito “ter acesso a” em lugar do horroroso “acessar”. E, olhe, você está certíssima, continue com esse mais requintado “ter acesso a”; eu também o uso. Por curiosidade, em Portugal usam “aceder”, que, em uma de suas acepções, quer dizer a mesma coisa.
Há, contudo, um momento em sua escrita, no qual me quedei desnorteado. Pode ter havido um escusável e inevitável cochilo gráfico. É quando você considera “que sempre haverá um motivo, uma razão, para justificar nossas fraquezas, limitações e impulsos. Não para nos justificar ou redimir, mas para nos dar uma direção consciente, apropriada e equilibrada ao nosso modo de ver, agir e pensar o e no mundo”. Para mim, tudo muito claro, exceto esse “o e no mundo” que aparece ao final do parágrafo. Não consegui entendê-lo.
Outra observação que faço, construtivamente, tem a ver com o tormentoso emprego do hífen. É, de fato, uma tarefa espinhosa empregá-lo adequadamente. Ora o colocam, ora o tiram, e assim vai-se criando uma infernal balbúrdia. Mas especificamente em relação a “sócio cultural”, que aparece em seu bom trabalho, tanto a Academia Brasileira de Letras (http://bit.ly/iEzFo) quanto o Dicionário Priberam (http://bit.ly/9eJeeA) adotam a forma aglutinada ‘sociocultural’.
No mais, parabéns pelo seu artigo.
@magnoreisand

8 de agosto de 2011 12:28  
Blogger Ieda Sampaio disse...

Obrigada por seu comentário.
Agradeço os elogios e a forma carinhosa com que fala do texto.
Obrigada também pelas dicas. Realmente vc tem razão nos dois pontos.
VEjo que o mais apropriado será corrigí-los agora.
Abraço afetuoso.

8 de agosto de 2011 14:09  
Blogger Roquelinne disse...

Amiga, sempre tão sábia e ponderada nas suas falas... Concordo que os sonhos trazem uma identidade muito particular e que cada indivíduo produz seus sonhos a partir do seu conteúdo mais íntimo e mais inconsciente. Sonhar... sempre foi tão humano e tão revelador...

8 de agosto de 2011 19:53  

Postar um comentário

<< Home